sábado, 14 de agosto de 2010

Querida saudade...

Sei que estás muito ocupada a encher o meu coração com uma imensa mágoa que me faça sentir um vazio enorme como se me roubasses o coração. E sei que neste momento encarregaste de regular o meu organismo para que me escorra água pelo rosto e me faça inchar as pálpebras de tal forma que nem um corrector de olheiras disfarça. Mas preciso que me escutas. escuta-me com atenção. vai-te embora! não aguento mais esta sensação que me causas. como é que tu, uma palavrinha com apenas três sílabazinhas consegue ser tão arrebatadora? sim, tu mesma. não fiques triste por te dizer isto. tu és o melhor sentimento que há para se provar que se ama. e sem ti, o amor não tinha sentido nem era tão sentido. mas o grande problema, é que adjacente a ti vem a dor, a tristeza e claro está, a água salgada. e não. não me refiro a água do mar nem a um gigantesco tsunami. Sei que não és capaz de causar tsunamis mas grandes tempestades emocionais, não duvido! por isso peço-te. faz as malas. não me ajudas em nada. só me sufocas e oh, não preciso disso. este calor consegue encarregar-se disso. mais pareces um lapa. eu quero esquecer, mas tu lembras-me. eu quero fugir e tu não deixas.eu quero que morras mas tu não morres. tu e os teus amigos adjacentes. se falasses tenho a certeza que dirias - " não morro porque o amor não morreu ". oh! como eu gostava te enganasses mas tu sugaste a minha consciência e apoderaste-te dela e agora não sabes dizer outra coisa. " não morro porque o amor não morreu ". eu sei que o problema é meu. mas cala-te e vai-te embora.

2 comentários:

FÁBIOSILVA disse...

que linda nhinha. :3
love you bf <3

Ny disse...

Olha que o texto senhora dona Joaninha, está bem bonito e gostei imenso dele :)
Até porque escreves bem como já te disse!
Gosto imenso de ti Voa-Voa, «3